sábado, 31 de outubro de 2009

A cultura e a responsabilidade social


Muitos ainda vêem o termo “responsabilidade social” como algo ligado apenas a projetos que visam as necessidades básicas do ser humano, como a alimentação e a saúde. Porém, existem algumas empresas que vêem a cultura como outro meio de ajudar a população.

Um destes casos é a Fiat, que tem como um de seus projetos de responsabilidade social a Casa Fiat de Cultura localizada em Nova Lima, Minas Gerais. Esta é uma entidade sem fins lucrativos que busca levar todas as formas cultura as mais diversas classes sociais. Outro ponto a ser analisado é que o projeto da Fiat não se desenvolve apenas dentro da Casa Fiat. Prova disso, é a exposição “Rodin” que ocorre até dezembro no Masp, em São Paulo.

Outro caso que podemos dar como exemplo é o da parceria realizada no ano de 2004, entre o Governo Egípcio e a IBM . Surgia então o projeto “Eternal Egypt” que tinha como missão recuperar milhares de anos da História Egípcia e disponibilizar as informações em versões multimídia.

Estes dados mostram que a cultura está se solidificando como uma das pilastras mais importantes do desenvolvimento dos cidadãos em todo o mundo. De olho nessa tendência vemos que a cada dia que passa mais empresas tomam conhecimento deste novo modo de ver a responsabilidade social.

Fonte:

http://www.aberje.com.br/acervo_not_ver.asp?ID_NOTICIA=1968&EDITORIA=Cultura

http://www-05.ibm.com/pt/ibm/ccr/cultura.html

http://www.fiat.com.br/mundo-fiat/sustentabilidade/cultura.jsp

http://www.casafiatdecultura.com.br/index.html

Por Aline Rodrigues

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Novos versus Tradicionais canais da comunicação organizacional

Informatizamos o mundo, criamos novas tecnologias e agora surge a dúvida do que, e se, devemos implantá-las.

Jornais, revistas e manuais impressos fazem parte da tradição de muitos setores comunicacionais, eis que surge, nessa era digital, os jornais e informativos via Intranet, displays eletrônicos e blogs corporativos, mas como saberemos qual o mais eficaz?

Jurema Cannataro, jornalista e bacharel em comunicação social, divide em quatro aspectos como os profissionais da área de gestão devem analisar os possíveis canais:

1. Velocidade; hoje a uma demanda, por parte desses públicos, por informações em tempo real. Certamente as mídias digitais ganham ponto nesse item, afinal a informação chega ao público de uma maneira mais rápida.

2. Atratividade; independente do veículo, nós devemos lembrar que deverá ser feito por um profissional que possua conhecimentos para cativar e atrair o público-alvo.
O segundo ponto é que nenhum público pensa ou possui um gosto homogêneo segundo a autora: “ Existem pessoas que fixam mais as informações através da leitura e que preferem textos mais aprofundados. Já outras optam pelo dinamismo, sendo mais estimuladas pelo uso de recursos multimídia (textos, imagens em movimento e som).”

3. Custo; o dinheiro investido em gráfica certamente é maior do que o investido em um jornal digital, por exemplo. Porem devemos considerar o nível dos funcionários, afinal o Brasil ainda tem muita desigualdade, e para muitas pessoas ainda falta o acesso a esses meios eletrônicos. Ainda devemos considerar que se a gráfica é mais cara que o eletrônico, a implantação e a manutenção de uma ilha de computadores dentro da organização seria muito mais caro que a gráfica antes mencionada.

4. Portabilidade; nesse aspecto devemos considerar a facilidade do transporte e do acesso ao meio escolhido.

5. Complementaridade; a fase de transição que vivemos demanda de nós, comunicadores, uma mescla dos meios de comunicação existentes, pois só assim chegaremos a uma comunicação eficaz para todos os nichos de públicos dentro de uma organização.

Concluindo, é imprescindível um plano de comunicação empresarial estratégico e muito bem formulado por comunicadores com alto grau de profissionalismo para se alcançar os públicos alvos.
Por Flávia Martins

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Sustentabilidade nas Organizações



A sustentabilidade é palavra da moda. È a partir dela que se vai garantir a sobrevivência das empresas no futuro, gerando empregos, investimentos e lucro para a mesma.A qualquer hora estamos poluindo o meio ambiente - e as empresas fazem isso muito mais. E é através de pequenos gestos que se pode ajudar a mudar a situação do planeta.

A utilização de panfletos, clipagem mensal, resumo, materiais impressos de uma forma geral estão contribuindo para a poluição do meio ambiente. Trocando o papel pela web, como email ou mesmo a intranet, a mensagem chegaria do mesmo jeito, talvez fosse mais acessada do que o impresso. Hoje a internet tem a mesma relevância dos jornais e revistas.

A tendência é criar programas de Responsabilidade Social Coorporativa para que as decisões sejam voltadas para o desenvolvimento social, ambiental e econômico. A área de Relações Públicas é capacitada para perceber mudanças e guiar os caminhos da organização, visando uma boa imagem para que no futuro essa tenha uma sustentação nos momentos de crise.

“Pequenos atos podem fazer a diferença no futuro”
Por Vanessa Almeida

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Publicidade de mau gosto

Uma campanha publicitária criada pela agência brasileira DM9DDB para a ONG ambiental WWF gerou uma grande polêmica internacional. Foram apresentados um anúncio e um filme, cuja idéia comparava o número de mortes do atentado de 11 de setembro com o número de mortes do tsunami asiático em 2005.
A peça mostrava vários aviões em direção as torres do “World Trade Center” com o seguinte anúncio: “O tsunami matou cem vezes mais pessoas do que o 11 de setembro. O planeta é brutalmente poderoso. Respeite. Preserve”.
Após a publicação desse anúncio em um jornal local, a repercussão foi imediata. A imprensa norte-americana repudiou e julgou veemente o material publicitário, mas a maior crítica veio do apresentador Keith Olbermann, do programa “Countdown”, que admitiu desejar que o CEO da agência DM9 “morra de fome nas ruas”, e ainda classificou a equipe da agência como “as piores pessoas do mundo”.
Reconhecendo o grande incidente, a DM9 Brasil alegou que “O anúncio Tsunami para a WWF Brasil foi criado em dezembro de 2008. A agência se desculpa a todos que foram afetados ou ofendidos com o anúncio. Este anúncio nunca deveria ter sido feito e não retrata a filosofia desta agência”.Além do mais, afirmou que os responsáveis por esse equívoco, não trabalham mais na empresa.
Por outro lado, a WWFBrasil considerou o material ofensivo e declarou em nota oficial que “O conceito foi sumariamente rejeitado pela WWF e nunca deveria ter sido visto à luz do dia".
Analisando o fato, percebo que quem se deu mal nesse caso foram os publicitários que criaram esse anúncio, mas será que eles foram realmente os únicos culpados? Acredito que exista um longo processo até a finalização desse material e que o responsável pela aprovação, não deve ser nenhum estagiário inexperiente.
Diante de tantas incertezas, o fato é que faltou bom senso e inteligência para essa campanha. No mais, ainda esperamos profissionais competentes não apenas para criar e planejar um anúncio publicitário, mas profissionais que adotem transparência para assumir seus erros.

Fonte: http://casadogalo.com/o-tsunami-que-atingiu-a-dm9ddb
Por Luciana Dantas

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Mix da Comunicação – Universidade Metodista

O evento Mix da Comunicação está sendo promovido pela Faculdade de Comunicação da Universidade Metodista e acontece nos dias 27, 28 e 29 de novembro, com palestras e apresentações de trabalhos da área comunicacional nos períodos matutino, vespertino e noturno.

A palestra de hoje teve como tema “Campanhas de Merchandising Social nas Novelas da TV Globo”, realizada por Márcio Schiavo, diretor da Comunicarte. Schiavo iniciou a palestra com a apresentação de um vídeo que trouxe os principais merchandisings sociais da TV Globo, relacionado com a novela e a época em que foi transmitida.

Merchandising social é a inserção – intencional, sistemática – de questões sociais e mensagens educativas bem definidas em enredos de novelas, minisséries e outros. Este tipo de merchandising fundamenta-se na análise e utilização dos meios de comunicação como suporte para as mensagens e inovações sociais que serão abordadas.

Marcio Schiavo mostrou exemplos que mobilizaram a sociedade como a doação de sangue, aleitamento materno, gestação, leucemia, entre outros. Esses tipos de merchandising trouxeram resultados positivos e por isso cada vez estão crescendo.
Por Jordana Maggio

segunda-feira, 26 de outubro de 2009


No dia primeiro de outubro, realizamos uma entrevista com a Irmã Ana Elidia, representante da Associação Palavra Viva, responsável junto aos alunos do terceiro semestre de Relações Publicas da Universidade Metodista pelo evento “Um dia pela Paz”. Trechos dessa entrevista estão dispostos a seguir:

Mais integração: A gente sabe que já ocorreram três edições anteriores desse evento. Essas outras edições trouxeram benefícios para a instituição, no sentido de acarretar novos membros e auxílios?

Associação Palavra Viva: Eu acho que todos os trabalhos realizados afetaram a associação Palavra Viva em vários níveis. Esses resultados nem sempre são imediatos, eles podem vir ao longo do tempo. Em termos de novos associados e voluntários, sim, ocorreram. Se vocês perguntarem se o número de pessoas que entrou é o suficiente, não, não é. Nós precisamos nesse momento de um número muito maior de voluntários e associados. Mas eu acho que tudo aquilo que aconteceu em decorrência do trabalho que foi feito, foi positivo, mas nós precisamos ainda intensificar mais, mas eu acredito que o ganho foi bastante grande.

Nos projetos anteriores, houve patrocínios sim, mas isso não beneficiou diretamente a Associação Palavra Viva, porque nós temos outras necessidades que não foram satisfeitas. Mas, concretizou nossa necessidade de trabalhar o tema da paz, então foi realmente importante. Agora, temos outras necessidades que só o trabalho de vocês não supre, mas também nós não temos obviamente essa pretensão.

Mais integração: Quais são as maiores necessidades, carências que a Associação tem hoje, que precisam ser sanadas?

Associação Palavra Viva: Nossa primeira carência: Os recursos humanos. Nós precisamos de mais pessoas, porque o projeto é muito amplo, precisamos voluntários que estejam envolvidos e que possam estar prestando os serviços que necessitamos. Desses voluntários nós gostaríamos que os que estivessem mais comprometidos se tornassem associados da Palavra Viva, pois agora também estamos carentes de associados. A associação passou por diversos processos, e nesse momento estamos com associados muito importantes, mas pelo fato deles serem muito importantes eles vêm de associações, congregações e entidades que muitas vezes estão no exterior, em outros estados e eles não tem disponibilidade nem física nem de tempo de estarem contribuindo diretamente com a Associação Palavra Viva, e isso para nós criou um vazio, pois temos associados que dão renome para a associação, mas não contribuem. Precisamos então renovar o quadro de associados com pessoas ativas, que possam participar do dia a dia, das reuniões regulares, que possam ter presença constante.

A segunda necessidade são os recursos financeiros. Nós realmente precisamos de patrocínios para esse projeto e para outros que temos, e nós precisamos desses recursos porque todo esse trabalho que nós fazemos e tem um desdobramento muito maior, se tornaria muito mais eficaz e eficiente, se nós pudéssemos contratar um profissional de comunicação para poder fazer um trabalho do dia a dia, sistemático, como, de assessoria de imprensa, contato com os meios de comunicação, contato com os grupos de pessoas que estão atuando no projeto um dia pela paz, para recolher informações, alimentar o site e criar um fluxo de informação entre esses grupos de estão atuando no Um dia pela paz, porque esse evento que vocês estão fazendo, é apenas um pedacinho do projeto, mas amplo, que é o dia pela paz. Esse projeto de educação para a paz é parte de um projeto maior, eu nem diria que é um projeto agora, já é um programa, porque já tem vários desdobramentos. Então nos precisaríamos de fato de um profissional de comunicação que estivesse trabalhando diretamente conosco, articulando essa questão da comunicação que é fundamental nesse momento, e para isso nós precisamos de recursos financeiros.

Por Fernanda Testa

domingo, 25 de outubro de 2009

Comunicação Interna: Um Desafio


Na comunicação empresarial é importante que todos falem a mesma língua para um bom entendimento. A organização precisa ter um sistema de comunicação para transmitir suas noticias, normas, planos estratégicos para todos os funcionários da empresa.

Uma informação gerada de forma errada pode trazer muitos problemas para a empresa, podendo gerar desde conflitos internos até mesmo a perda de clientes. Isso pode ocorrer quando a organização contrata um profissional de comunicação que não analisa a cultura organizacional, aplicando instrumentos não condizentes com o ambiente.

Quando todos sabem qual a missão da empresa e respeitam os canais de comunicação estabelecidos, conseguem alcançar com mais facilidade os objetivos e metas, não prejudicando o conjunto previamente planejado e sistematicamente atualizado, alcançando o sucesso da empresa.


Por Vanessa Almeida

sábado, 24 de outubro de 2009

Livro: O que é comunicação estratégica nas organizações ?


O livro “O que é comunicação estratégia nas organizações ?” aborda uma dimensão mais estratégica sobre a comunicação organizacional, buscando fundamentação teórica para o relacionamento organização e sociedade/públicos.

O avanço da globalização e as transformações na sociedade, assim como os impactos nas relações, mostram que a demanda da participação social, principalmente a responsabilidade social, tem ampliando com o decorrer desses avanços. Essa questão se relaciona com uma visão mais estratégica, agregando um valor técnico e instrumental além de interativo e relacional.

A dimensão estratégica passa a ter referenciais teórico-culturais no campo da comunicação e da administração, necessários para a gestão comunicacional organizacional. Para tal é preciso haver cinco componentes: tratamento processual da comunicação; inserção da comunicação na cadeia de decisões; gestão de relacionamentos; processo planejado e processo monitorado.

Com uma aplicação mais prática, uma análise do processo comunicacional foi realizada com duas organizações, Alcan Alumínios do Brasil e Samarco Mineração S/A. Esta análise se concentrava no cenário da comunicação interna, juntamente com as suas interfaces diante do contexto contemporâneo, identificando os processos práticos envolvidos na dimensão estratégica com os seus atores sociais (públicos).

Informações do livro:
Título: O que é comunicação estratégica nas organizações ?
Autoras: Ivone de Lourdes Oliveira e Maria Aparecida de Paula
Editora: Paulus
Edição: 2ª edição, 2008
Por Jordana Maggio

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Pão de Açúcar e a responsabilidade social


A responsabilidade social é um assunto que cada dia está sendo mais abordado, e é considerado imprescindível para a sobrevivência das empresas que atuam no mercado. Preocupar-se com a qualidade de vida da sociedade se tornou indispensável para que uma marca seja reconhecida e admirada por todos.

Como exemplos de instituições que tiveram uma comunicação eficaz nesse ramo, temos a Natura e o Banco Real, famosos principalmente pela sua preocupação com a sustentabilidade e meio ambiente, e o Mc Donalds que apóia causas sociais, através do Mc Dia Feliz, entre muitas outras.

Outro caso que pode ser exposto é o da Rede Pão de Açúcar, que há oito anos realiza três ações de responsabilidade social: campanhas de arrecadação de brinquedos para presentear crianças carentes no natal (nesse ano, essa campanha já começou e estará em vigor até dia seis de dezembro. Para ajudar, basta doar brinquedos, novos ou usados, e depositá-los em urnas em frente aos caixas das lojas credenciadas), campanhas de arrecadação de agasalhos (no inverno) e campanhas para doações de livros e materiais escolares (na época de volta as aulas). Essa iniciativa ocorre em 109 lojas do Extra e Extra Perto, 144 lojas Pão de Açúcar e 163 lojas Compre Bem espalhadas por todo Brasil.

Segundo dados encontrados no site da Aberje, divulgados pela rede Pão de Açúcar: “As campanhas de arrecadação estão inseridas na causa ‘Dividir com a Comunidade’, uma das três que guiam as ações socioambientais do Grupo Pão de Açúcar”, comenta Paulo Pompilio, diretor de Responsabilidade Socioambiental do Grupo Pão de Açúcar. A ideia é promover ações que contribuam para o desenvolvimento comunitário. Desde o início do programa, já foram arrecadados 2.080 milhões e oitenta mil livros e 1.396 mil agasalhos.

Fonte:http://www.aberje.com.br/acervo_not_ver.asp?ID_NOTICIA=1918&EDITORIA=Responsabilidade
Por Fernanda Testa

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Rio 2016



As Olimpíadas com certeza são o maior evento esportivo do mundo. E no ano de 2016 serão realizadas no Brasil, mais especificamente no estado do Rio de Janeiro O posicionamento contra ou a favor para que o país seja sede de tal evento, nesse momento não é mais relevante, mas é inegável o planejamento de comunicação realizado em todo Brasil para que isso se tornasse possível.

O site Rio 2016 conta o porquê a escolha do Rio de Janeiro, além de falar muitas vezes sobre os benefícios que este evento trará para nosso país. Fala-se da nossa economia, das interações esportivas e de como isso pode nos auxiliar num futuro breve. Convence até mesmo os incrédulos de que será um grande evento.


O setor comunicação tratou de fazer com que seja mesmo uma via de duas mãos. Existem links com milhares de mensagens de apoio vindo do mundo inteiro. Mas o que mais me impressionou é o contato direto existente entre os coordenadores das áreas de acomodação, transportes, instalações e até mesmo do meio ambiente.


Outros meios também foram utilizados para a divulgação desse projeto como galerias de imprensa e redes sociais. Isso tudo mostra a importância da comunicação e da transparência não apenas em projetos organizacionais, mas também dentro do governo deixando seus projetos claros a todos os interessados, neste caso, à população brasileira.


Fonte: www.rio2016.com.br


Por Aline Rodrigues

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Evolução dos modelos comunicativos em uma organização

Hoje me deparei com um texto muito interessante da professora Margarida Maria Krohling Kunsch que mostra além dos modelos de comunicação praticados por organizações, definidos por Grunig e Hunt, a relação das relações públicas com a comunicação organizacional.

Destaco, ainda sugerindo a leitura na integra, os quatro tipos de entender a natureza e o propósito da comunicação e proponho uma análise, pois esses modelos nos remete a gradual evolução da importância da comunicação simétrica, ética e eficaz em uma empresa, e o quão longe ainda estamos da perfeição.

O primeiro modelo é conhecido como assessoria de imprensa e mostra empresas que buscam apenas a publicidade, ou seja, o aparecer na mídia sem a preocupação com o feedback.

O segundo tipo é o de informação pública que prioriza a transmissão da informação correta através do jornalismo só que ainda não preocupado com a retro alimentação.

A terceira forma é o assimétrico de duas mãos, que como o próprio nome diz ainda é muito desequilibrado, melhor explicando, aqui há uma consideração do retorno porem independente de qual seja a corporação sempre tem a razão. Temos aqui a introdução da pesquisa como forma de persuasão dos públicos.

O quarto modelo, e infelizmente um tanto utópico ainda, é o simétrico de duas mãos que seria o mais ético e buscaria um entendimento mútuo entre a organização e seus públicos.


FONTES:
Aulas da Professora Maria Aparecida Ferrari
http://www.portalrp.com.br/bibliotecavirtual/relacoespublicas/teoriaseconceitos/0081.htm

Por Flávia Martins

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Email marketing como instrumento de relacionamento


O email marketing é uma poderosa ferramenta de comunicação que oferece diversas funcionalidades e ações para o estreitamento do relacionamento entre a organização e os seus públicos. Muito utilizado para transações comerciais, campanhas e anúncios publicitários, o email marketing é na maioria das vezes confundido com os indesejáveis “spams”, porém o que caracteriza a sua legitimação é o consentimento do destinatário, uma vez que, a mensagem transmitida garante a ele o direito da continuidade do recebimento desses emails.

Esse tipo de comunicação em massa quando utilizado de maneira estratégica traz muitos benefícios para as empresas, pois o custo é muito baixo em relação ao retorno obtido. Para que as empresas consigam atingir o maior número de leitores, é fundamental integrar a tecnologia a qualidade da informação, usufruindo da interatividade que o cenário virtual proporciona.

Outra estratégia eficaz para tornar o email marketing um atrativo e não apenas mais um email qualquer, é a personalização do email, que deve transmitir informações releveantes de acordo como o perfil de cada receptor, fidelizando assim o relacionamento entre a organização e o cliente.


Por Luciana Dantas

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Comunicação Informal e o famoso “Boca a boca”

A comunicação mais conhecida é a comunicação informal, ela é usada por todas as pessoas de qualquer cultura e em todos os lugares: Escritório, internet, balada, restaurante, shopping e assim acontece. Qualquer lugar que não exista uma exigência na forma comunicacional.

A comunicação informal abrange o boca a boca, que é um dos métodos mais famosos de divulgação para qualquer evento ou até mesmo uma prova na faculdade, ele funciona de forma simples e sem segredos. Uma pessoa passa pra outra uma informação, que é repassada e segue adiante junto com a importância da comunicação para tudo que só aconteça em conjunto. Essa informação é transmitida por telefone, orkut, blog, twitter, e-mail e qualquer meio de comunicação.

por Felipe Rosa

domingo, 18 de outubro de 2009

Case Vale



Case é uma 'história' de sucesso de uma empresa ou de um profissional. Pretende se com esses casos mostrar caminhos que corporações/pessoas percorreram para o sucesso e com isso que outras organizações busquem se espelhar nessas soluções. Hoje comentaremos sobre um case de relacionamento que exigia da Vale um portal para um público estratégico com alta demanda por informação.

A Vale necessitava de um canal de relacionamento online com a imprensa, e apoiada pela Canvas, deram início a um trabalho pioneiro no Brasil que buscava fornecer mais que textos institucionais e downloads.

Esse trabalho permitiu, segundo o site Canvas, “o gerenciamento de todo o conteúdo produzido pela assessoria de imprensa, incluindo arquivos multimídia, coletivas de imprensa, entrevistas, releases, notícias, blog, cadastro de jornalistas e credenciamento online, além da divulgações de resultados é sempre transmitida via webcast”.

A Sala de Imprensa desenvolvida pela Canvas é a melhor ferramenta online de relacionamento com a imprensa do país, no nível das melhores implementadas em toda a internet", afirma Valéria Miranda, da In Press Porter Novelli, assessoria de imprensa da mineradora.
Hoje, após ganharem prêmios e homenagens podemos analisar como a implantação de um projeto comunicacional para um público alvo é importante e como melhora a imagem diante desses lideres de opinião.

Para ter acesso a números de resultados e para mais imagens utilize a fonte : http://canvas.com.br/cases-vale.php#.

Por Flávia Martins

sábado, 17 de outubro de 2009

Integração no mercado


No dia 23 de outubro, a partir das 19h30, na Fnac Pinheiros – São Paulo, a Difusão editora promove palestras entre Paulo Nassar e Margarida Kunsch sobre a série de livros Pensamento e Prática. Esse encontro tem como objetivo aproximar a academia e o mercado através de discussões sobre comunicação organizacional. O evento contará com sessão de autógrafos e palestras ministradas pelos autores citados acima, e também pelo diretor geral da Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje). O conteúdo das palestras está relacionado com os dois livros que marcaram o lançamento da série citada: “A Comunicação na Gestão da Sustentabilidade das Organizações” e “Relações Públicas e Comunicação Organizacional: Campos Acadêmicos e Aplicados de Múltiplas Perspectivas”, que analisa a relevância da comunicação organizacional e das relações públicas diante dos desafios da sociedade contemporânea, avaliando conquistas e tendências.

A Série Pensamento e Prática realizou uma parceria com a Difusão Editora e a Associação Brasileira de Pesquisadores de Comunicação Organizacional e de Relações Públicas (Abrapcorp). Assim, como relata a Revista Fator, “a série trará anualmente publicações originadas a partir das discussões realizadas em cada edição dos congressos anuais da Abrapcorp com reflexões acadêmicas e práticas sobre a temática de comunicação organizacional e relações públicas.”

Pretende-se com isso estimular o Brasil a aprimorar as teorias campo. Os dois primeiros volumes da série, lançados oficialmente no Intercom 2009, originaram-se nos congressos realizados nos anos de 2007 e 2008. A edição de 2009 será lançada no evento do ano que vem.

Fonte: http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=94501

Por Fernanda Testa

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

A importância da comunicação para a realização de um evento.

A realização de um evento depende de grandes idéias e de saber expressa-las. Seu sucesso vai variar junto com a forma que a comunicação interna e externa fluir.
Para isso é preciso foco e responsabilidade com seus integrantes de equipe, o qual cada um é responsável por uma área e se esse não estiver a par de todas as circunstancias, novidades e problemas, pode acabar executando seu dever de forma inadequada às vezes precipitada ou totalmente problemática.

Logo este erro sendo repassado aos clientes ou freqüentadores dos eventos realizados por sua empresa ou organização. Sua imagem estaria se danificando e temos certeza que para recuperar uma imagem, exige muito mais trabalho do que para prejudicá-la.

Quais os meios de comunicação que atingem o público de um evento?

· Flyers;
· Divulgação virtual;
· Banners;
· Chamadas em rádios;
· Mural dentro de empresas;
· Spams (divulgação instantânea) ;
· Blogs.

E eu poderia falar outros milhares de modos, afinal qualquer maneira que repasse uma informação é valida para a divulgação de algo.

por Felipe Rosa

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Um Meio Atraente de Comunicação

A Intranet é um dos meios mais usados na comunicação organizacional, pois ela armazena e disponibiliza informações sobre a empresa. Também é um estimulo para os funcionários, onde podem dar opiniões e sugestões, e aumenta a comunicação, dando maior eficiência ao seu trabalho.

Com a nova tecnologia, os profissionais de comunicação tentam criar e gerar um sistema de confiança por meio de um mix de elementos que seja capaz de atingir o público alvo de maneira correta. A introdução do DVD como meio de transmissão de informações tem sido muito utilizado, já que permite expressar emoção através da informação (imagem e áudio) e também a integração dos funcionários no local de trabalho, algo que no informativo escrito não é possível.

Um exemplo de organização que utiliza esse meio é o BANCO REAL/ABN AMRO Ban, que produz uma revista eletrônica interna juntamente com um DVD. Mas para alcançar essa meta, a empresa tomou os devidos cuidados para que a prática desse novo meio não viesse a falhar: instalou televisões e logo em seguida, através de sua revista, colocou o funcionário como transmissor de informações, eliminando possíveis intermediários no processo comunicacional.

O importante dessa nova tecnologia é tornar a comunicação mais atraente, não apenas informativa, mostrando a importância do processo comunicacional, principalmente interna, mostrando a importância do trabalho em equipe para o funcionamento da organização.

Fonte: http://www.aberje.com.br/novo/acoes_artigos_mais.asp?id=153


Por Vanessa Almeida

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Líderes de Comunicação - Francisco Viana.

video



A reputação de uma organização é um dos pontos mais importantes desenvolvidos na comunicação organizacional. Ela é uma das principais estratégias para fortalecer o relacionamento das empresas com seus públicos, fazendo com que todos vejam a visão/missão da empresa de maneira positiva.

O vídeo acima explica isso por meio da série desenvolvida pela Aberje "Líderes da Comunicação" disponível no site do Youtube. Ele tem como protagonista Francisco Viana, falando sobre a importância da reputação nas organizações e a relação da mesma com a comunicação interna e externa.
Por Aline Rodrigues

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Comunicação e empresas reconhecidas mundialmente

Antes da década de 90, as organizações possuíam apenas uma visão em relação aos seus produtos: a de vendas. Depois desse período, a questão ‘valor de marca’ começou a ganhar ênfase entre os seus públicos. Para Fernando Thompson, o público diante essa nova postura assume uma relação idealista e não mercantilista, com isso visa não apenas o produto em si, mas todos os valores agregados a este.

A questão da sustentabilidade também ganhou ênfase, sendo considerado um dos quesitos mais forte quando se pensa em ‘valor de marca’, já que este mostra como a organização está preocupada com a sociedade ao seu redor, com o seu compromisso social.

Para Thompson, o departamento de comunicação apenas instrumentaliza a organização para que esta funcione de acordo com os seus discursos e que, diante da crise, os profissionais devem encontrar oportunidades ‘baratas’ e eficazes para dar continuidade ao processo comunicacional.

Os desafios das organizações reconhecidas mundialmente, apontados por Thompson, são: atuação em culturas distintas; planejamento e execução com orçamentos pequenos; compreensão e transformação dos desejos de seus públicos em produtos com ‘valor de marca’, para que estes consumam.

Fonte: Frear sim, regredir jamais, Revista Comunicação Empresarial – Ano 19; n.° 72; 2009 – Publicação trimestral da Aberje

Por Jordana Maggio

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

A fragilidade das informações disseminadas em redes sociais

O jornal o Estado de São Paulo publicou hoje uma matéria que me chamou a atenção. No caderno LINK, a matéria “Discussão de mesa de blog” apresentou a polêmica gerada entre o blog Resenha em 6 e o Boteco São Bento, localizado no Estado de São Paulo e frequentado por jovens de classe média alta.
O blog Resenha em 6 foi criado por três amigos com a intenção de expor as críticas dos internautas referentes a qualquer coisa. Porém, uma “suposta” resposta (por parte da administração do Boteco) a um comentário negativo sobre o bar, gerou uma grande repercussão e demonstrou tamanha influência das redes sociais nos negócios.
A polêmica surgiu depois que um anônimo, que se identificava como representante do bar, ameaçou processar o blog por calúnia e difamação. A partir daí, a situação tornou-se incontrolável e já estava sendo debatida no Twitter e em outros blogs. Entretanto, quando o gerente de marketing do Boteco São Bento, Jorge Príncipe, resolveu se manifestar sobre o ocorrido, já era tarde demais, pois, embora o fake tenha sido descoberto, o caso já tinha vazado em todas as mídias e redes sociais.
Apesar desse episódio polêmico, o blog Resenha em 6 teve um aumento significativo de visitas, chegando a picos de quase 20 mil acessos. Em relação ao Boteco São Bento, esse fato não alterou a freqüência do bar, mas trouxe uma grande lição para aprimorar o atendimento e buscar novas formas de se relacionar com os seus clientes. Com isso, devemos ressaltar que tão importante quanto à qualidade da informação, é a velocidade da transmissão dela, pois não bastam redes sociais mais interativas e modernas, se o comunicador não souber utilizá-las de maneira correta e eficaz.

Por Luciana Dantas.

domingo, 11 de outubro de 2009

Entrevista

A entrevistada Mariângela Dal Bianco Garcia, de 25 anos, é formada em 2007 no curso Comunicação Social - Habilitação em Relações Públicas na Unesp de Bauru de 2003 a 2006.

Quais foi o período de estagio na área de relações públicas ?
Em novembro de 2003, eu comecei a fazer estágio em uma Escola de Pedagogia alemã, na "Viver Escola Waldorf de Bauru". Lá eu comecei fazendo um pouco de tudo: organizando murais, ajudando em malas diretas, comunicação interna, externa (se é que ainda podemos classificar assim!!!). Fui conquistando a confiança dos diretores da escola, que me colocaram como elo da comunicação entre pais, professores, alunos e ainda, eu quem apresentava a escola para o público, ou seja, trabalhava na questão da imagem e prospecção de novos clientes. Depois disso, em março de 2007 eu me despedi de tudo e todos para, depois de formada, viver uma experiência no exterior. E fiquei um ano morando em Denver-CO nos Estados Unidos.

Qual o setor da organização que você atua e como este influência na empresa ?
Sou Supervisora de uma Clínica Médica. Trabalho com Gestão de Pessoas, Comunicação, Administração e Marketing. Eu diria que sou Relações Públicas da clínica , mas com nome do cargo diferente. Afinal, trabalho diretamente com Diretor Clínico e Administrativo de modo a trabalhar com satisfação de atuais clientes, colaboradores internos, garantindo boa qualidade na prestação dos serviços, eficiência na comunicação, transparência no planejamento e execução de projetos visando sempre o lucro da empresa, a prospecção de novos clientes e a imagem da Clínica. O que eu posso dizer que precisamos sempre trabalhar com a comunicação na empresa são os diferentes meios e diversos jeitos para atingir o objetivo almejado. Precisamos definir qual é o público para atingir e trabalhar com todas as ferramentas para fazer com que a comunicação seja eficiente. Se tratando de uma empresa, temos públicos de diferentes formações e classes sociais, assim, precisamos trabalhar de diversas formas para que não haja nenhum tipo de ruído no decorrer da mensagem. Eu digo sempre que comunicação é tudo!

Me coloco a disposição para mais esclarecimentos e bate-papos sobre a nossa apaixonante profissão:
maryangel_rp@hotmail.com
Por Vanessa Almeida

sábado, 10 de outubro de 2009

Cultura Organizacional: o que é?

Toda empresa tem como base uma cultura organizacional formada por valores aplicados em suas relações internas e externas. São estes valores que posicionam a mesma perante a sociedade e seus públicos alvos.

Esta pode ser identificada através de pesquisas sobre os hábitos de todos os escalões de uma organização, identificando situações que a tornem negativa. Além disso, é necessária a analise de pontos específicos, como a ética e as normas empresariais.

Algumas vezes estes valores não são adequados e para mudá-los são necessárias mudanças radicais na comunicação interna, tornando-a mais correta perante os princípios da empresa. Outras vezes são realizadas ações de marketing, para que o público externo tenha a imagem que a empresa gostaria de passar.
Por Aline Rodrigues
Fonte::Texto “Cultura Organizacional” de Rebeca Freitas publicado em http://www.administradores.com.br/artigos/cultura_organizacional/21588/

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Mídias sociais são consideradas ferramentas eficazes na comunicação empresarial


Esse assunto foi abordado no evento Maximídia, na quarta feira dia 07/10/09.

Segundo Flávia da Justa, diretora de comunicação da Oi, “Comunicação integrada necessita de uma mensagem pra cada veiculo, pra cada ação, o que deixa nosso trabalho mais divertido. Qualquer ponto de contato deve ser uma ponte pra passar uma informação para o cliente, coerente e única".

Outras pessoas muito importantes no âmbito da comunicação também estava presentes, como o Paulo Castro, diretor geral do Terra, através da internet, o boca a boca das mídias sociais podem ser difundidos, e que isso é extremamente positivo. A Maria Luiza Lopes da Unilever, acredita que os novos meios de se comunicar são simples, e que isso auxilia a constatar qual é a lealdade que os consumidores tem diante da marca, uma vez que ela acredita que todos devem pensar no consumidor como pessoa, e não apenas como um alvo a ser atingido.

Por fim, o palestrante americano Mcgrow, expõe que para aplicar uma estratégia de campanha integrada é imprescindível estudar muito bem o produto e seus consumidores, para que a comunicação seja eficaz e atinja ao seu receptor.

Fonte:
http://www.portalms.com.br/noticias/Midias-sociais-sao-consideradas-ferramentas-eficazes-na-comunicacao-empresarial/Campo-Grande/Geral/959562538.html
Por Fernanda Testa

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

A humanização do departamento de Recursos Humanos


Durante muito tempo o departamento de Recursos Humanos ficou associado à contratação de funcionários e a adequação desses ao ambiente empresarial. A partir da década de 90, o cenário organizacional passou a exigir uma nova estrutura de Recursos Humanos, agregando estratégias de negócios a valorização do capital humano.

Essas transformações contribuíram para o aperfeiçoamento das políticas de RH e as conduziram para a implementação do perfil “Gestão de Pessoas”, que tem como objetivo proporcionar o desenvolvimento profissional e pessoal dos funcionários. Um grande exemplo desse modelo de Gestão de Pessoas é o da empresa Ferramentas Gerais, que modificou o seu discurso, como afirma Auri Filho(gerente corporativo da Área de Gestão de Pessoas) “Antes, escolhíamos um caminho e depois, as pessoas para trilha-lo. Hoje, escolhemos as pessoas e elas é que indicam o caminho”.

Para Auri Filho a Área de Gestão de Pessoas tem como missão transformar 2 mil colaboradores em vendedores, que a partir de planos estratégicos, táticos e operacionais, conduziram a empresa ao seu objetivo principal: “Vender Mais, Melhor e Sempre”.

Tais posturas adotadas pela Ferramentas Gerais tiveram impactos positivos, obtendo reconhecimento não apenas das pessoas que participam ativamente dos assuntos estratégicos da empresa, como também dos seus stakeholders, que sabem e compreendem o papel desenvolvido pela Área de Gestão de Pessoas.

Fonte: Revista Amanhã, Agosto/09
Por Luciana Dantas

quarta-feira, 7 de outubro de 2009





Quando acontecem grandes fusões entre organizações de grande porte, coletivas de imprensa e eventos são articuladas para a divulgação de tal. Porém, quase 80% dessas fusões não atingem as expectativas, como é o caso da Chrysler e Daimler, que tive fracasso devido à má gestão na comunicação interna.

Um case que pode ser citado no Brasil é a fusão entre Itaú e Unibanco, que teve a sua divulgação preparada em apenas quatro horas. “A cada nova ação, a equipe de imprensa e marketing traçava novos planos para conversar com mídia e sociedade – isso com a mesma rapidez com que a coletiva foi planejada”.

A comunicação interna recebeu atenção especial depois da fusão, sendo implementado um hotsite da integração, canal de duas mãos que permite ao colaborador ter contato mais direto com a organização, enviando duvidas, sugestões, entre outros.

Para se obter uma fusão próspera, a organização deve possuir um alinhamento interno das equipes, com agilidade e transparência na transmissão de informações tanto sobre o processo como sobre os impactos. Também deve monitorar a veiculação de noticias na imprensa, a fim de evitar que haja informações incorretas.

Fonte: O desafio de gigantes, Revista Comunicação Empresarial – Ano 19; n.° 72; 2009 – Publicação trimestral da Aberje
Por Jordana Maggio

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Ongs em pró da sociedade



As organizações não governamentais têm uma grande posição na sociedade, pois mostram o lado que poucos vêem, e oferecem chances para que todos tenham seus pontos de vista e a chance de viver. Toda ONG tem um propósito (como sociais ou culturais), mas cada uma tenta ajudar de alguma forma pessoas que precisem de auxilio.


A ajuda vêm de diferentes formas, como doações de pessoas físicas e jurídicas que podem ser através de dinheiro, aulas culturais, cestas básica e principalmente, a comunicação, que mostra para os auxiliados como lidar em algumas situações nas quais se sentem rebaixados, ajudam a ganhar dinheiro de forma legal e honesta, entre outros.

A comunicação que as ONGS exercem também é direcionada para a sociedade, que vê as pessoas necessitadas como um empecilho para o crescimento social, que podem ser descartados do meio em que vivemos.

A partir disso vem a iniciativa de pessoas que querem ajudar os que precisam, auxiliando para que os mesmos possam se restabelecer socialmente, e ter novas oportunidades diante da sociedade.


Por Felipe Rosa

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Gestão de públicos em um cenário de incertezas


A crise atual mundial do capitalismo, trouxe para as multinacionais um cenário de incerteza, com demissões e até a falência, porém algumas organizações que investiram em comunicação e inovação hoje desfrutam dos bons resultados que seus investimentos proporcionaram.

Um dos mercados mais afetados pela crise econômica foi o da construção civil, mas Cibele Fischer, gerente de relacionamento da Tecnisa, optou pela transparência e pela criação de um novo canal de relacionamento com as concorrências, que apesar de serem competidores, também possuem objetivos e interesses comuns, e até agora deu certo!

Outras notáveis soluções foram propostas por Solemar Andrade, presidente da AeC, que enxerga esse momento não como uma crise, mas como uma nova economia em formação.

Solemar propõe treinamentos diários para os funcionários chegarem motivados e preparados para o trabalho e, além disso, se esforçou, através da criatividade e de soluções externas, para não haver perda na qualidade dos produtos (o que, para ele, só é possível se a empresa possuir bons parceiros).

Em suma, empresas como as citadas acima, em tempos de crise, utilizaram o poder da comunicação para agregarem valor o que lhes concedeu reconhecimento para superar o momento difícil que passavam no mercado, bastou que elas fossem criativas e permanecessem transparentes e próximas dos seus clientes e seus parceiros.


Fonte: CONSUMIDOR MODERNO. São Paulo: Grupo Padrão, n. 136, set 2009.


Por Flávia Martins

domingo, 4 de outubro de 2009

Comunicação Institucional: o que é ?


Comunicação institucional é uma modalidade da comunicação integrada e é a responsável pela construção da identidade (seu propósito, seu objetivo) e imagem (o que o público pensa) organizacional. Enfatiza também aspectos relacionados com a missão, visão, valores e filosofia da organização, contribuindo para um desenvolvimento mais eficaz dos atributos do sistema organizacional.

Essa comunicação está relacionada aos aspectos corporativos, visando conquistar a simpatia, confiança, construindo uma identidade/imagem com credibilidade e influencia na sociedade.

A comunicação institucional se aplica em conhecer a organização e compartilhar os seus atributos, e não em uma divulgação organizacional de seus produtos/serviços. Porém possui uma ‘ligação’ com a comunicação mercadológica, uma vez que um bom conceito ou uma boa imagem é necessária para a conquista de nichos de mercado, promovendo e respaldando na sinergia comercial.

Por Jordana Maggio

Fonte: Planejamento de relações públicas na comunicação integrada – Margarida Kunsch; Summus Editora; nova edição.

sábado, 3 de outubro de 2009

Associação Palavra Viva


Nós, alunos do terceiro semestre de Relações Públicas na Universidade Metodista de São Paulo, tivemos como projeto de trabalho nesse semestre letivo, realizar um evento chamado “Um Dia pela Paz” junto a Associação Palavra Viva.

Essa Associação busca dar assistência social através da evangelização pelos meios de comunicação. Ela deseja alcançar com isso, maior divulgação de seus projetos por todo pais e conseguir um número maior de voluntários e recursos financeiros, para que seja possível realizar melhorias e maiores investimentos nessa ONG.

O evento “Um dia pela Paz” será realizado em novembro (data está sendo definida), e terá como público principal educadores e coordenadores de colégios, e responsáveis por ONGs de segmentos semelhantes aos da Palavra Viva, para que os mesmos possam, após esse dia, desenvolver e despertar nas crianças com que trabalham, atitudes e valores que ajudem na construção da paz, e superação de conflitos e violência.

Por Fernanda Testa

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Comunicação Mercadológica = Marketing?


Baseado nas aulas da professora Cláudia, a comunicação mercadológica é uma das modalidades da comunicação organizacional. É uma comunicação comercial que se preocupa em reforçar a imagem dos produtos e serviços da organização, alem da sua divulgação com publicidade, anúncios na mídia, promoções, merchandising, entre outros; visando sempre o aumento de vendas.

Essa comunicação se constitui de uma mensagem persuasiva, constituída através da analise de um quadro sociocultural e dos canais que lhe fornecem esse quadro. Portanto, pode-se dizer que essa modalidade possui um mix de instrumentos comunicacionais considerados persuasivos para conquistar seu público em questão.

Já o marketing é um estudo do produto e como este está inserido no mercado; analisa e planeja uma forma de implementar as vendas dos produtos da empresa, assim como pesquisando na sociedade uma necessidade de produto para supri-la. É também uma filosofia gerencial que auxilia a organização a ser reconhecida nos nichos de mercado através de seus produtos.

A comunicação ajuda o marketing a manter e melhorar a imagem da empresa perante o mercado, a relacionar a marca com a qualidade dos produtos, sempre mantendo os sempre mantendo o mercado em movimento.


Por Vanessa Almeida

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Empresas que buscam a diferença...

Antes de começarmos, gostaria de propor uma reflexão sobre a campanha do Bradesco que além de exemplificar o tema que abordaremos hoje, ilustra perfeitamente o relacionamento que todas as empresas deveriam manter com seus clientes: “Ouvir a opinião do consumidor é obrigação. Fazer dela o princípio de todo o trabalho é inovação”.

A revista “Consumidor Moderno”, na edição de setembro, entrevistou os presidentes das organizações que mais se preocupam com os seus clientes e a partir de seus relatos evidenciamos o quão essencial à comunicação é.

Há diversas maneiras de se chegar a um bom relacionamento com seus consumidores, empresas como a Mantecorp investem em um feedback rápido e eficiente, ou seja, procuram dar retorno às solicitações em curto prazo, já outras, como a Tam, preferem proporcionar atendimento personalizado aos seus passageiros.

Chama à atenção as dicas proporcionadas por Vito Chiarella, vice-presidente da Sky, que aposta na diversificação de canais de atendimento como Chat, Blog, site e e-mail para atingirem os variados públicos que possuem.

Enfim, seja a melhoria no atendimento diferenciado, na qualidade do produto, na inovação de colaboradores, na implantação de novas mídias ou no feedback, o fator-chave é ter criatividade. “O objetivo é sempre surpreender e a melhor forma é estar concentrado no foco do cliente, oferecendo um serviço de qualidade com ética, responsabilidade e transparência”. (Ricardo Nantes, 2009, p. 70).

Fonte: CONSUMIDOR MODERNO. São Paulo: Grupo Padrão, n. 136, set 2009.
Por Flávia Martins